sábado, maio 18, 2024
More
    HomePoderBrasilProjeto de lei pretende tornar obrigatória a divulgação de medicamentos gratuitos

    Projeto de lei pretende tornar obrigatória a divulgação de medicamentos gratuitos

    Publicado em

    spot_img
    Uma proposta de autoria da deputada estadual Mayara Pinheiro (PP) pretende tornar obrigatória no estado do Amazonas a divulgação dos medicamentos distribuídos gratuitamente à população, pelo Sistema Único de Saúde (SUS), em estabelecimentos que forneçam estes medicamentos. O projeto de lei 308/2019 também diz que a divulgação deverá ser feita por meio de cartazes em mural de ampla visibilidade e, quando possível, por meio eletrônico. A proposta abrange, inclusive, a promoção ampla de medicamentos oferecidos com descontos estabelecidos por programas estaduais ou federais.
     
    Em caso de descumprimento, a norma prevê advertência e multa de mil reais, aplicadas pelo Programa Estadual de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon). Em caso de reincidência, a proposta prevê o dobro da penalidade. Os estabelecimentos têm um prazo de 30 dias para se adequarem a lei, após sancionada. O projeto deve ser votado ainda nesta semana. Se aprovado, irá a sanção do governador do Estado, que tem 15 dias para publicar ou rejeitar a proposta. A obrigação imposta no projeto não se aplica a hospitais, unidades de pronto-atendimento e centros médicos.
     
    Na justificativa do projeto, a parlamentar diz que mesmo a saúde sendo um direito constitucional e inalienável do cidadão, constantemente é sabido que indivíduos deixam de ter acesso a medicamentos fornecidos pelo SUS, sendo privados de receber os devidos cuidados com a saúde, por desconhecimento, ou pela dificuldade em obter informações claras e corretas. “Muitos cidadãos que são atendidos diariamente pelo SUS deixam de utilizar medicamentos que lhes são receitados, por não possuírem renda para obtê-los e por desconhecerem que o Estado fornece diversos medicamentos de forma gratuita ou, pelo menos, com descontos consideráveis. A obrigação estipulada nesta lei é de extrema simplicidade, não se tratando de ônus exacerbado conferido aos comerciantes e fornecedores de tais medicamentos”, explica.
     
    A deputada Mayara também ressalta que “é importante destacar que, por não realizarem o tratamento adequado, milhares de pessoas tem o seu quadro clínico agravado, gerando aumento do número de mortes, casos de invalidez permanente e sequelas, que também exigirão a movimentação do Poder Público para que os envolvidos recebam o suporte econômico e social necessários”, argumenta.
     

    Por Cíntia Ferreira, do Portal Projeta

    Últimos Artigos

    Nível dos rios do AM é “preocupante”, diz Defesa Civil

    Em informativo à população compartilhado nesta semana, a Defesa Civil Estadual do Amazonas (DC-AM)...

    AM perde liderança no Norte na produção de ovos

    Com a produção de 520.956 ovos de galinha em 2023, o Amazonas perdeu a...

    Em dois meses, 17 pessoas morreram atropeladas em Manaus

    De janeiro a fevereiro de 2024, 17 pessoas morreram em atropelamentos em Manaus. O...

    Saiba quais alimentos têm sódio em excesso identificados pela Anvisa

    Um relatório divulgado pela Anvisa revelou que 28% dos produtos industrializados monitorados entre 2020...

    Mais artigos como este

    Nível dos rios do AM é “preocupante”, diz Defesa Civil

    Em informativo à população compartilhado nesta semana, a Defesa Civil Estadual do Amazonas (DC-AM)...

    AM perde liderança no Norte na produção de ovos

    Com a produção de 520.956 ovos de galinha em 2023, o Amazonas perdeu a...

    Em dois meses, 17 pessoas morreram atropeladas em Manaus

    De janeiro a fevereiro de 2024, 17 pessoas morreram em atropelamentos em Manaus. O...