sexta-feira, maio 17, 2024
More
    HomePoderAmazonasCassação imediata dos mandatos de cinco vereadores de Manaus é suspensa

    Cassação imediata dos mandatos de cinco vereadores de Manaus é suspensa

    Publicado em

    spot_img

    Uma decisão do Tribunal Regional Eleitoral do Amazonas (TRE-AM), divulgada nesta segunda-feira (26), suspendeu a cassação dos mandatos de cinco vereadores de Manaus. João de Jesus Abdala Simões, presidente do TRE-AM, considerou que a determinação de perda do mandato – definida pela 37ª Zona Eleitoral no dia 21 de agosto – não estabelecia cumprimento imediato. Agora, o caso deve ser analisado pelo pleno do TRE-AM.

    As suspensões atendem a mandados de segurança apresentados pelos cinco vereadores, ligados ao Partido Liberal (PL). São eles:

    Edson Bentes de Castro, o Sargento Bentes Papinha; do segundo vice-presidente da CMM, Fred Mota; de Mirtes Salles, que assumiu a vaga da deputada estadual Joana D’arc; e de Claudio Proença. Os parlamentares foram condenados à inelegibilidade por oito anos, assim como Joana D’arc que se elegeu e exerceu o mandato de vereadora por dois anos e a jornalista Liliane Araújo que à época concorreu ao cargo de vereadora.

    No recurso, os parlamentares alegaram que a comunicação do cumprimento da sentença junto à Câmara Municipal de Manaus (CMM) – feita na sexta-feira (23) – não considerou o prazo de três dias para apresentação de eventuais recursos.

    Na decisão desta segunda, o presidente do TRE-AM afirmou que a lei assegura que os candidatos permaneçam “no exercício de seus mandatos até a confirmação da referida cassação por meio de julgamento de órgão colegiado”. Além disso, João Simões destacou que o documento de cassação não definia a execução imediata.

    Com isso, o presidente suspendeu as cassações imediatas – atendendo aos mandados de segurança apresentados pelos vereadores.

    Fraude

    No dia 21 deste mês, a juíza da 37ª Zona Eleitoral, Kathleen Gomes, cassou os mandatos dos titulares e suplentes eleitos no pleito de 2016 pelo Partido Liberal (PL) por fraude no registro de candidaturas.

    No documento, a juíza afirma que houve fraude no Demonstrativo de Regularidade dos Atos Partidários (DRAP). Por conta disso, eles não teriam respeitado a legislação que exige um percentual de candidatas femininas.

    Com informações do G1

    Últimos Artigos

    Nível dos rios do AM é “preocupante”, diz Defesa Civil

    Em informativo à população compartilhado nesta semana, a Defesa Civil Estadual do Amazonas (DC-AM)...

    AM perde liderança no Norte na produção de ovos

    Com a produção de 520.956 ovos de galinha em 2023, o Amazonas perdeu a...

    Em dois meses, 17 pessoas morreram atropeladas em Manaus

    De janeiro a fevereiro de 2024, 17 pessoas morreram em atropelamentos em Manaus. O...

    Saiba quais alimentos têm sódio em excesso identificados pela Anvisa

    Um relatório divulgado pela Anvisa revelou que 28% dos produtos industrializados monitorados entre 2020...

    Mais artigos como este

    Nível dos rios do AM é “preocupante”, diz Defesa Civil

    Em informativo à população compartilhado nesta semana, a Defesa Civil Estadual do Amazonas (DC-AM)...

    AM perde liderança no Norte na produção de ovos

    Com a produção de 520.956 ovos de galinha em 2023, o Amazonas perdeu a...

    Em dois meses, 17 pessoas morreram atropeladas em Manaus

    De janeiro a fevereiro de 2024, 17 pessoas morreram em atropelamentos em Manaus. O...