sexta-feira, fevereiro 23, 2024
More
    HomePoderAmazonasBoato de deputado armado na CCJ suspende reunião sobre Reforma

    Boato de deputado armado na CCJ suspende reunião sobre Reforma

    Publicado em

    spot_img

    A reunião da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara dos Deputados destinada à leitura do parecer da Reforma da Previdência foi suspensa, após um tumulto entre os parlamentares governistas e da oposição.

    Quase quatro horas após o início da reunião, o parecer do deputado Delegado Marcelo Freitas (PSL-MG) ainda não havia sido lido em plenário. O tumulto que interrompeu a sessão ocorreu quando Freitas se preparava para fazer a leitura.

    Nesse momento, deputados contrários à matéria foram até a mesa do presidente da comissão, deputado Felipe Francischini (PSL-PR), questionando o fato de não poderem apresentar mais uma questão de ordem para atrasar o início da leitura.

    Deputados governistas cercaram a mesa e começou o tumulto. No meio da confusão, o deputado Eduardo Bismarck (PDT-CE) começou a gritar que havia um parlamentar armado entre eles, em referência ao líder do PSL, Delegado Waldir (PSL-GO).

    O Regimento Interno da Câmara proíbe expressamente “porte de arma de qualquer espécie nos edifícios da Câmara e suas áreas adjacentes, constituindo infração disciplinar, além de contravenção, o desrespeito a esta proibição”.

    Pelo artigo 271 do Regimento Interno, só é permitido o porte de arma para integrantes da segurança. Após o tumulto, deputados governistas disseram à imprensa que Waldir portava apenas um coldre (artefato utilizado para guardar a arma na cintura).

    Diante da confusão, a reunião acabou suspensa antes da leitura do parecer – a expectativa é de que seja retomada ainda nesta terça (9).

    Reunião na CCJ

    Veja como votou cada deputado (Foto: Reprodução/Câmara dos Deputados)

    Nesta etapa, os deputados analisaram apenas pela admissibilidade da PEC, isto é, se a matéria enviada pelo Executivo fere algum princípio constitucional. Apenas sete parlamentares foram contra a retirada da pauta do CCJ, enquanto 40 votaram pelo prosseguimento e outros 13 pela obstrução.

    Depois da leitura do parecer, o mérito será discutido por uma comissão especial. A previsão é que dias 10 e 11 de abril fiquem destinados a eventuais pedidos de vista e, no dia 17 de abril, o relatório seja votado no colegiado.

    Entre os principais pontos da reforma de Bolsonaro estão a fixação de idade mínima de 65 anos (homens) e 62 anos (mulheres), com a exigência de, no mínimo, 20 anos de contribuição. A reforma atinge a todas as categorias, com exceção dos militares (incluindo PMs e bombeiros), cujo texto foi enviado depois.

    Últimos Artigos

    Mel de jandaíra do AM é escolhido o melhor do Brasil

    A agroindústria Feira do Mel – Flor do Amazonas de Manaus conquistou o primeiro...

    ‘CNH Social 2023’: Veja prazo de entrega da documentação:

      A entrega deve ser feita nos postos de atendimento do Detran-AM e nas autoescolas...

    Temporada de cruzeiros injeta R$ 3,5 milhões na economia do AM

    Temporada de cruzeiros, que ocorre de novembro a maio, recebe mais de 26 mil...

    Prefeitura e governo federal firmam convênio de R$ 78 milhões

    O prefeito de Manaus, David Almeida, assinou em parceria com o governo federal, por meio...

    Mais artigos como este

    Mel de jandaíra do AM é escolhido o melhor do Brasil

    A agroindústria Feira do Mel – Flor do Amazonas de Manaus conquistou o primeiro...

    ‘CNH Social 2023’: Veja prazo de entrega da documentação:

      A entrega deve ser feita nos postos de atendimento do Detran-AM e nas autoescolas...

    Temporada de cruzeiros injeta R$ 3,5 milhões na economia do AM

    Temporada de cruzeiros, que ocorre de novembro a maio, recebe mais de 26 mil...